Demon Ruchu: o demônio do movimento

precursor da literatura de horror weird polonesa do início do séc. XX em tradução inédita no Brasil.

Trens macabros e ferroviários dissidentes habitam o mundo de Demon Ruchu – o demônio do movimento, uma coleção de contos do escritor polonês Stefan Grabiński, publicada pela primeira vez em 1919 e inédito no Brasil.

Às vezes chamado de “Poe polonês” ou “Lovecraft polonês”, Grabiński é uma voz única na literatura fantástica que criou seu próprio estilo, abordando temas que nenhum outro escritor de horror e fantasia da época estava explorando.

Somente você pode fazer este livro existir!

Apoie o projeto de financiamento coletivo, e tenha recompensas exclusivas!

Simulação de frete

Descrição

Demon Ruchu – o demônio do movimento

Trens macabros e ferroviários dissidentes habitam o mundo de Demon Ruchu – o demônio do movimento, uma coleção de contos do escritor polonês Stefan Grabiński, publicada pela primeira vez em 1919 e inédito no Brasil.

Às vezes chamado de “Poe polonês” ou “Lovecraft polonês”, Grabiński é uma voz única na literatura fantástica que criou seu próprio estilo, abordando temas que nenhum outro escritor de horror e fantasia da época estava explorando.

A imagem simbólica das obras de Grabiński foi encarnada por criaturas misteriosas, como incubi, bruxas, doppelgängers, espíritos de vários tipos e mensagens misteriosas do submundo. Sua ficção é geralmente considerada bizarra, porque é permeada de magia, erotismo oculto, efeitos parapsicológicos e misticismo oriental.

A ficção de Grabiński atravessa a divisão entre horror sobrenatural e psicológico de uma maneira única e interessante. Os contos trazem estranhas histórias de fantasmas e também de indivíduos mentalmente instáveis e suas obsessões com velocidade, máquinas, espaço, viagens e fuga. Mas a imaginação de Grabiński alcança muito mais do que tratar de estranhas neuroses; suas histórias evocam um animismo sutil, implicando que forças, lugares e objetos têm vontades próprias e que podem curvar indivíduos “sensíveis” para seus próprios fins.

Stefan Grabiński é agora considerado um dos primeiros a encontrar horror e prazer no cotidiano de sua época, em lugares onde outros escritores nunca se preocuparam – ou ousaram – olhar. É, portanto, um dos poucos autores sobre os quais se pode realmente afirmar estar à frente de seu tempo.

As histórias de Demon Ruchu estão firmemente enraizadas na realidade das viagens de trem, como o autor as viu no início do século 20, mas – como contado por um narrador potencialmente não confiável – sempre há uma camada adicional de loucura e horror que pode ser psicológico ou verdadeiramente sobrenatural. Não há corvos falantes nem deuses antigos tentados nessas histórias, mas catástrofes ferroviárias causadas por trens fantasmas, ferroviários lunáticos e demônios que só podem existir na mente dos protagonistas. Ele mostra tanto o fascínio da velocidade dos trens quanto o mundo secreto das ferrovias e sinalizadores que os viajantes normalmente não veem, e ao mesmo tempo tece uma crítica ludita.

Eis os contos presentes nessa coletânea:

  • Área silenciosa (balada ferroviária) Głucha przestrzeń (Ballada kolejowa)
  • O Sujo | Smoluch
  • Alarme falso | Fałszywy alarm
  • O demônio do movimento | Demon ruchu
  • Maquinista Grot | Maszynista Grot
  • Sinais Sygnały
  • Uma estação estranha (fantasia do futuro) Dziwna stacja
  • Trem errado (lenda ferroviária) Błędny pociąg
  • Desvio morto Ślepy tor
  • Ultima Thule

É um livro indispensável para os fãs de horror weird.

Apesar de hoje ser considerado um dos precursores da literatura de horror fantástico polonesa, o trabalho de Grabiński foi amplamente ignorado em seu país natal durante sua vida, mas nos últimos tempos tem havido um interesse internacional crescente por esse escritor, com vozes notáveis, como o autor China Miéville, que o proclamou como um mestre de horror e fantasia. Seus livros têm ganhado traduções para o inglês recentemente.

Em Portugal essa obra foi lançada alguns anos atrás em edição limitada e atualmente está esgotada. No Brasil não existem publicações de nenhum dos textos de Grabiński. Seus textos já foram traduzidos para vários idiomas, tendo contos seus presentes em várias coletâneas. Acima, algumas capas de edições do Demon Ruchu (em alguns países, existiram várias edições diferentes desse mesmo livro).

Esta campanha vem resgatar o trabalho de um autor relevante da literatura de horror que se encontra longe de seu público por uma barreira linguística. O livro será traduzido diretamente do polonês e poderá finalmente ter sua primeira edição brasileira.

A principal recompensa é o livro impresso que se pretende ser uma brochura no tamanho de 16cm x 23cm, com miolo em papel pólen 80g (aquele de tom creme, bom pra ler). Além disso, outras recompensas exclusivas para os apoiadores da campanha aqui no Catarse são:

Marcador metalizado: marcador em papel 300 g com cobertura metalizada.

Cartão postal de tiragem limitada: Postal exclusivo para apoiadores do Catarse. Vem com a arte da capa que foi feita por Vinicius Buzzatto, artista gravador e professor de gravura.

Gravura numerada e assinada: A ilustração da capa é do artista visual Vinicius Buzzatto. Trata-se de uma gravura feita na técnica chamada calcogravura, por meio da qual se utiliza uma matriz de metal para fazer o desenho e depois, uma prensa, utilizando uma técnica de pintura chamada água-forte. As gravuras serão numeradas e assinadas, feitas em tamanho A5 em papel especial hahnemühle. Essa recompensa é limitada a apenas poucos exemplares – confira nos kits das recompensas.

Relógio de bolso temático: Um lindo relógio de bolso importado, típico do início do século XX, com detalhes temáticos de trem.

O Catarse é uma plataforma de financiamento coletivo. Essa página é uma parceria entre a Editora Urso e a plataforma. O processo é muito simples, você apoia o projeto e ajuda-o a existir no mundo!

Em troca, nós pensamos em várias recompensas interessantes, desde o livro em si até mimos especiais, entre outras coisas! Você pode escolher de acordo com o seu gosto e também a forma de pagamento (se boleto ou cartão).

Para ver as opções, basta olhar os cards ao lado e escolher o seu >>>>

ou acessar a aba “recompensas”.

Se, na data final do projeto, nós atingirmos 100%, todos receberão suas recompensas, mas, caso não atinjamos, o valor contribuído será devolvido. Tudo isso é feito pela própria plataforma do Catarse!

Por isso nós precisamos muito do seu apoio; sem ele, o projeto não acontece, então… vamos chamar os amigos e apoiar!! ♥

Stefan Grabiński (1887–1936) foi chamado de “Edgar Allan Poe polonês”, e seu trabalho foi um dos precursores da ficção de fantasia na Polônia. Stefan se formou na Universidade de Lwów (Lviv) e depois trabalhou como professor de polonês na cidade e depois em Przemyśl. Tinha uma constituição fraca, sofrendo de tuberculose grave por muitos anos. Durante o tempo em que trabalhou como professor, escreveu romances, peças de teatro e contos, além de publicar artigos e histórias em jornais e revistas. Uma coleção de contos, Exceções: No Escuro da Fé (Z Wyjątków. W Pomrokach Wiary), escrita sob o pseudônimo Stefan nyalny, foi publicada em 1909 e uma segunda coleção de contos, No Monte da Rosas (Na Wzgórzu Róż), seguido 9 anos depois. O livro que, no entanto, firmemente estabeleceu Stefan como autor do fantástico na Polônia dos anos entre guerras, foi sua coleção de contos O Demônio do Movimento (Demon Ruchu), publicada em 1919.

TRADUÇÃO

Milena Woitovicz Cardoso desde 2006 estuda a língua polonesa e atualmente cursa bacharelado em Letras-Polonês na UFPR. Interessa-se por história e pela literatura e cultura da terra dos seus antepassados.

TEXTOS COMPLEMENTARES

Nosso prefaciador convidado é Piotr Kilanowski, professor de Língua e Literatura Polonesa no curso de Letras – Polonês da Universidade Federal do Paraná. É tradutor, principalmente de poesia. Traduziu, entre outros, Paulo Leminski para o polonês, Zbigniew Herbert, Jerzy Ficowski, Wisława Szymborska, Władysław Szlengel, Irit Amiel e Anna Świrszczyńska para o português. Pesquisa poesia (principalmente a do século XX polonês), literatura polonesa, cinema polonês e história e literatura do Holocausto, especialmente a do Gueto de Varsóvia.

Alcebíades Diniz é professor, tradutor, pesquisador e escritor, tendo por especialidade as narrativas, a criação de histórias, o registro de universos fantásticos no papel. Bacharel em linguística pela USP, realizou mestrado, doutorado e pós-doutorado na Unicamp, tendo, nesse percurso, passado por um estágio de pesquisa na Brunel University e na British Library (Londres). Realizou traduções para as editoras Sol Negro, Carambaia e Perspectiva, de autores como H. G. Wells, Dolfi Trost, Nathanael West e Thomas de Quincey. Seu texto irá apresentar não somente o trabalho de Grabiński mas também esclarecer o porque é tão comparado à Poe e Lovecraft e trazer a tona a sua singularidade ainda desconhecida do público brasileiro.

ILUSTRAÇÃO

Vinicius Buzzatto é o responsável pela arte da capa e também pelas gravuras numeradas. Natural de Curitiba, teve iniciação às artes no Centro Juvenil de Artes Plásticas Guido Viaro. Graduado em Superior de Gravura e com Especialização em Poéticas Visuais pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, nutre paixão pelo ofício do gravado também atuando como professor do curso de Gravura em Metal no Museu da Gravura Cidade de Curitiba e no Ateliê de Gravura da Academia de Artes Alfredo Andersen. Conheça o portfólio e visite o Instagram do artista.

COORDENAÇÃO EDITORIAL

A Editora responsável por esta edição é a Lua Bueno Cyríaco, formada em Artes Visuais e graduanda em Letras Japonês pela UFPR. Artista gráfica, ilustradora e editora da BuruRu e Urso. Tem a publicação da tradução de poemas clássicos japoneses Jûsan’nin Isshû – treze poemas do Ogura Hyakunin Isshû, traduzido por Vladine Barros, Horror Oriental e dos mais recentes Irui Kon’inRaposas, As aventuras da detetive Loveday Brooke e Contos Fantásticos Coreanos sob sua tutela editorial, todos apoiados através do Catarse.

Editora Urso (irmã mais velha da BuruRu) é incubada pela Laboralivros. A Urso tem como proposta a publicação e divulgação de trabalhos voltados às áreas artísticas e demais ramificações das ciências humanas. Dentro desse espectro, realizamos publicação de traduções, poesia, ensaios, teses e dissertações com propostas culturais e estéticas a fim de auxiliar na divulgação desses trabalhos.

APOIO OFICIAL

A editora paulistana Sebo Clepsidra, ligada às livrarias de mesmo nome e membro-fundador da Coesão Independente, tem como foco principal a edição de obras que orbitam os imaginários gótico, romântico e decadentista (sem, porém, restringir-se a eles). Neste link, é possível baixar o catálogo da editora em formato pdf.

Orçamento

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Demon Ruchu: o demônio do movimento”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *