O Caso ao lado, com Amelia Butterworth

A solteirona intrometida que veio antes de Ms Marple, criada por Anna Katharine Green, a “mãe do romance policial” em 1897 e ainda INÉDITO no Brasil

Você achava que a moda de solteironas de mente aguçada que se metem a virar detetives começou com Miss Marple?

Nada disso!

Inédita no Brasil, essa publicação em edição de luxo vem com o intuito de resgatar uma obra relevante da literatura de mistério produzida por mulheres.

Somente você pode fazer este livro existir!

Apoie o projeto de financiamento coletivo, e tenha recompensas exclusivas!

Descrição

O projeto

Você achava que a moda de solteironas de mente aguçada que se metem a virar detetives começou com Miss Marple?

Nada disso!

Muitas mulheres autoras e personagens foram sendo esquecidas pela história, não tendo seus livros republicados nem divulgados e fazendo com que muitos leitores atuais as desconheçam completamente.

A coleção ‘Senhorita Detetive’ vem resgatá-las com o seu apoio!

Após o financiamento bem-sucedido do livro As aventuras da senhorita detetive Loveday Brooke, de Catherine L. Pirkis, feito aqui pelo Catarse em 2020, percebemos o quanto a literatura de mistério perde ao não se divulgarem as obras de incríveis escritoras do século XIX e início do XX.

Existem muito mais autoras e personagens detetives do que nos fazem pensar, e que, ao contrário do que se esperaria, foram, SIM, muito bem vendidas e famosas em suas épocas!

Prepare-se para o resgate!

Esta é a campanha para o financiamento do 4º volume da coleção Senhorita Detetive, o livro O caso ao lado, escrito por Anna Katharine Green em 1897 e INÉDITO no Brasil.

No volume 1, temos Loveday Brooke, a primeira detetive mulher criada por uma autora mulher; no volume 2, Vênus Johnson a primeira mulher negra a desempenhar o papel de detetive, no volume 3 da coleção, Lady Molly uma mulher detetive a trabalhar oficialmente com a famosa Scotland Yard.

No volume 4 da coleção temos, possivelmente, a primeira a iniciar a vasta galeria de senhoras viúvas ou solteironas que adoram saber da vida dos vizinhos, e de quebra são muito boas investigadoras. Um querido estereótipo da literatura detetivesca.

Criada por Agatha Christie em 1930, Miss Marple é uma das personagens detetives mais conhecidas da literatura. No entanto o que nem todos sabem é que 33 anos antes existiu uma outra solteirona intrometida com uma aguda percepção investigativa; a norte americana Amelia Butterworth, criada por Anna Katharine Green em 1897.

Na história desse livro, a solteirona da alta sociedade, Amelia Butterworth, uma intrometida inveterada e de olhar aguçado, percebe algumas coisas estranhas na casa ao lado. Assim, acaba se envolvendo e envolvendo a polícia no caso – que acaba por ser um assassinato. Amelia se descreve como uma pessoa astuta, enérgica e com um gênio especial para uma vocação particular, nesse caso, de investigadora. Ela acaba por ser engraçada muitas vezes sem querer, por ser uma personagem pouco autoconsciente e muito pretensiosa.

No entanto, essa história acaba por ser uma das melhores de Anna Katharine Green, pois revela muito do caráter de Amelia, e apresenta personagens e trama muito mais densos e profundos do que do seu livro anterior “The Leavenworth Casewhich” (O caso da Quinta Avenida), que por mais que seja a sua trama mais conhecida, ainda apresenta eventos muito implausíveis e personagens caricaturais.

Nesse romance, é possível ver o desenvolvimento da escrita de Anna Katherine Green, e o seu crescimento enquanto escritora detetivesca, criando personagens, enredo e trama muito mais próximo da realidade e legalmente mais precisos. Mesmo que seja uma escritora pouco conhecida, ela é considerada a “mãe do romance policial”, tendo sido referência para grandes escritores do gênero depois dela, como Arthur Conan Doyle e Agatha Christie.

Anna Katherine Green foi uma importante escritora detetivesca e é digna de ser relembrada e reconhecida.

Foi o trabalho de Anna que popularizou o estilo nos Estados Unidos do século XIX, uma década antes de Arthur Conan Doyle escrever a primeira história de Sherlock Holmes. Para a pesquisadora do gênero, Ellen Higgins, algumas pessoas desconsideram o trabalho de Anna para não competir com um “mestre” do estilo.

Mesmo sendo considerada a escritora mãe do gênero policial e tendo sido as suas obras utilizadas em escolas de advocacia como exemplos para estudos de casos, suas obras não tem o reconhecimento devido.

No Brasil neste momento contamos com a tradução de apenas uma obra dela, “O caso da Quinta Avenida” (The Leavenworth Case) traduzido pela autora Cláudia Lemes. A nossa tradução será o segundo livro de Green publicado no Brasil e o primeiro da personagem arquetípica que inspirou tantas outras posteriores.

Anna Katharine Green (1846 – 1935) foi uma poeta e escritora estadunidense. Foi uma das primeiras autoras dos Estados Unidos a escrever romances investigativos e se destacou dos contemporâneos pelos enredos bem escritos e legalmente precisos. É considerada a “mãe dos romances investigativos”.

The Leavenworth Case é um dos primeiros romances de mistério e investigação escrito por uma mulher nos Estados Unidos, em 1878. E foi o trabalho de Anna que popularizou o estilo no país uma década antes de Arthur Conan Doyle escrever a primeira história de Sherlock Holmes. Para a pesquisadora do gênero, Ellen Higgins, algumas pessoas desconsideram o trabalho de Anne para não competir com um “mestre” do estilo.

Anna também leva o crédito por ter escrito histórias de detetive na forma clássica e por desenvolver o conceito de romances em série. Seu principal personagem era o detetive Ebenezer Gryce, da Polícia Metropolitana de Nova Iorque, mas em três romances ele é auxiliado por uma assistente solteirona agitada, chamada Amelia Butterworth. Suas obras também chegaram a ser utilizadas em debates nas faculdades de direito como a Yale Law School, para demonstrar o risco de se confiar em provas circunstanciais em um caso criminal.

O projeto prevê recompensas exclusivas para os apoiadores aqui no Catarse! O destaque vai pra coleção de 10 cards ilustrados que trazem as detetives mulheres mais interessantes da ficção, escolhidas pela renomada escritora de thrillers Cláudia Lemes .

A edição em capa dura também deve ser exclusiva para os apoiadores do projeto! Confira algumas recompensas:

Livro em CAPA DURA: O livro em sua versão de luxo, com capa dura, guarda colorida personalizada, fitilho de cetim para marcar páginas e verniz localizado, seguindo o padrão pensado para a coleção Senhorita Detetive, em um livro de 16×23, papel pólen 80g com 300 páginas. A versão capa dura é exclusiva para apoiadores do Catarse, não será disponibilizada para venda posterior.

Livro em capa cartão: Uma versão mais simples do livro em capa cartão triplex 300g.

Marcador colorido: todos os livros vêm com marcador colorido frente e verso.

Marcador magnético: marcador magnético medindo 4x5cm com estampa exclusiva!

Tote bag “Senhorita Detetive”: Estampada em sublimação e forro em nylon 600, o que a deixa estruturada e impermeável, em tamanho 26×26 (medidas podem ser alteradas levemente devido à costura)

RECOMPENSAS EXCLUSIVAS PARA APOIADORES DO CATARSE

Entre as recompensas, algumas delas depois podem ir para a lojinha virtual da editora, entretanto, algumas delas são exclusivas para quem apoiou no catarse e ajudou o livro a existir! Confira quais são:

Colar lupa retrô: Lupa pequena para leitura (ou para ampliar detalhes de investigações) com design retrô, importada. Acompanha colar.

Button “Fight like a victorian lady detective”: button com estampa exclusiva medindo 4x4cm

Sticker “Amelia Butterworth”: Sticker qualidade premium exclusivo com a detetive Amelia com 7x4cm em vinil de alta resolução com impressão digital ecológica de alta qualidade, material à prova d’água e com proteção UV, resistente ao sol, chuva e poeira.

Sticker “Lady Molly & Mary Granard”: Sticker qualidade premium exclusivo da detetive Lady Molly e sua assistente Mary Granard com 8x6cm em vinil de alta resolução com impressão digital ecológica de alta qualidade, material à prova d’água e com proteção UV, resistente ao sol, chuva e poeira.

Sticker “Vênus Johnson”: Sticker qualidade premium exclusivo com a detetive Vênus Johnson com 6x6cm em vinil de alta resolução com impressão digital ecológica de alta qualidade, material à prova d’água e com proteção UV, resistente ao sol, chuva e poeira.

Sticker “Loveday Brooke”: Sticker qualidade premium exclusivo com 4x6cm em vinil de alta resolução com impressão digital ecológica de alta qualidade, material à prova d’água e com proteção UV, resistente ao sol, chuva e poeira.

RECOMPENSA EXCLUSIVA PARA APOIADORES DO CATARSE
Cards “Mulheres detetives da ficção”: Cláudia Lemes é autora de vários livros de sucesso no Brasil, nos quais explora o gênero do mistério (thriller), é também uma das fundadoras da ABERST (associação Brasileira de escritores de suspense e terror). Ela fez uma seleção de 10 mulheres detetives da ficção que a inspiraram e que também sem duvida podem ter sido inspiradas pelas suas precursoras do século XIX e XX. os cards são exclusivos para apoiadores do catarse e ilustrados por Lua Bueno Cyríaco.

RECOMPENSAS DIGITAIS

E-book: E-book em formato fluido, ele não contém formatação fixa nem caracteres especiais ou ilustração, é feito especialmente para e-readers. O apoiador poderá baixar na Amazon (mobi) ou Google Books (epub), utilizando um código que enviaremos via e-mail.

Pôster digital: O poster digital será enviado por e-mail, e ele tem qualidade para impressão no tamanho de A3 ou menor.

O Catarse é uma plataforma de financiamento coletivo. Essa página é uma parceria entre a Urso e a plataforma. O processo é muito simples: você apoia o projeto e contribui para fazê-lo existir no mundo!

Em troca, nós pensamos em várias recompensas interessantes, desde o livro em si, até mimos como bolsas, marcadores especiais, entre outras coisas! Você pode escolher de acordo com o seu gosto e também a forma de pagamento (se boleto ou cartão).

Para ver as opções, basta olhar os cards ao lado e escolher o seu >>>>

ou acessar a aba “recompensas”.

Por isso, nós precisamos muito do seu apoio. Sem ele, o projeto não acontece 🙁

Então… vamos chamar os amigos e apoiar! ♥

PREFACIADORA CONVIDADA
Vera Carvalho Assumpção é paulista, escritora e criadora do detetive Alyrio Cobra que protagoniza os livros: Paisagens Noturnas, Rigor da Forma, Peças Fraglizadas, Royal Destiny, Serpente Tatuada, Mandalas Translúcidas, Imagem Restaurada e Redras Trocadas. Foi premiada em diversos concursos de contos, entre eles o concurso Guimarães Rosa da RFI e um dos seus contos foi publicado na antologia Geração SubZero (Editora RECORD, 2012). Em 2019 foi finalista no concurso Aberst de literatura com o romance Royal Destiny e também recebeu o Prêmio Bunkyo De Literatura com o livro Royal Destiny. Em 2020 recebeu o Prêmio Ecos Da Literatura na categoria e-book com Topázio Azul e recebeu o Prêmio Aberst de Literatura pelo Conjunto Da Obra.

Participou das antologias: O outro lado do Crime (Editora Lyr), Um Ótimo Dia Para Morrer (KDP – Amazon), O Melhor do Crime Nacional (Luva Editora), entre outras.

EDITORA ASSISTENTE
Ana Cláudia Fagundes da Cunha C. Ramuski é bacharel em Letras pela UFPR e mestranda em Letras também pela UFPR, sendo Pesquisadora da área de Pragmática Cognitiva. Atua nas áreas de tradução e revisão textual, e como assistente editorial da Laboralivros.

EDITORA
Lua Bueno Cyríaco, formada em Artes Visuais e graduanda em letras japonês pela UFPR. Artista gráfica, ilustradora e editora da BuruRu e Urso.

Tem a publicação do livro Horror Oriental, Irui Kon’in no Mukashi BanashiRaposas – contos fantásticos orientaisContos fantásticos Coreanos e As aventuras da senhorita detetive Loveday Brooke sob sua tutela editorial, todos apoiados através do Catarse.

REDES SOCIAIS
Jéssica Vitória T. S. Tavares é graduanda em Letras Japonês pela UFPR. É responsável pelas redes sociais e divulgação dos projetos da Laboralivros.

O estilo da literatura policial atual deve muito aos romances sensacionalistas muitas vezes escritos por mulheres, onde seus enredos cheios de reviravoltas, revelações de crimes ou segredos obscuros, muitas vezes escandalosos socialmente flertavam fortemente com o gênero de mistério.

Dos romances de mistério se destacou a figura do detetive, que aos poucos se tornou o centro das atenções. Atualmente a literatura policial atual é reconhecida por muitos grandes detetives homens, que consolidaram suas carreiras no final do século XIX, em especial na literatura de língua inglesa.

Mas e as mulheres?

Na segunda metade da Era Vitoriana houve um grande número de detetives mulheres (chamadas lady detective) surgindo na literatura como; Srª Pascal, Miriam Lea, Mollie Delamere, Dora Myrl, Hilda Wade e tantas outras. A maioria era escrita por homens, mas houveram autoras mulheres que deram vidas à grandes personagens do mesmo sexo que em sua época criaram tanto frisson quanto Sherlock Holmes.

Mas hoje nos perguntamos “onde estão essas mulheres autoras e detetives”?

É com esse objetivo que a coleção Senhorita Detetive foi criada. Nós vamos resgatar escritoras e personagens que foram por muito tempo negligenciadas, a ponto de serem ainda inéditas no Brasil embora sejam textos com mais de 100 anos.

Todas essas histórias são do final do século XIX e meados do século XX, muito antes da chamada “Era de Ouro” da literatura detetivesca, sendo certamente textos que inspiraram grandes nomes como Aghata Christie.

Nesta coleção reunimos as detetives criadas por autoras mulheres da literatura inglesa e americana em dois estilos: livros de casos, que são coletâneas completas de historias onde cada uma apresenta um caso diferente, e romances, um único livro com uma história longa.

TÍTULOS

Livro 1: O primeiro livro dessa coleção é “As aventuras da senhorita detetive Loveday Brooke” da autora Catharine L. Pirkis e segue o formato bookcase, ou seja, são vários contos reunidos sendo cada um um caso diferente.

Livro 2: A filha de Hagar: uma história sulista de preconceito de castas, de Pauline E. Hopkins. Um romance completo.

Livro 3: Lady Molly da Scotland Yard, de baronesa Emma Orczy. Em formato de bookcase, um caso por conto. Ilustrado.

Livro 4: O Caso ao Lado com Amelia Butterwoth, de Anna Katherine Green.

Livro 5, 6 e 7: Títulos a serem desvendados em 2022.

Você quer seguir as pistas e descobrir os títulos que virão? Siga a gente nas redes sociais (Instagram, Facebook e Twitter) @laboralivros e siga também as hashtags #senhoritadetetive e #senhoritadetetive2022

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “O Caso ao lado, com Amelia Butterworth”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *