Shôjo Jigoku: o inferno das garotas

Violência, horror psicológico, vinganças e amores proibidos. Um dos representantes da cultura eroguro nansensu em tradução inédita no Brasil.

Nesta obra de Yumeno Kyûsaku, suas protagonistas vivenciam o inferno imposto a elas por serem apenas jovens mulheres. Mas elas não vão deixar barato.⠀

Lançado em 1936 no Japão, a trilogia de contos faz parte de um movimento estético conhecido como eroguro nansensu (エロ・グロ・ナンセンス), que representa na mídia impressa uma sociedade considerada decadente, alienada e forjada em prazeres sexuais. Uma estética que surge do “sentimento de ansiedade e inconformismo frente às mudanças políticas, econômicas e socioculturais do início do século XX, mudanças ocorridas graças a um processo rápido e desenfreado de modernização e pela difusão de práticas e valores ocidentais no território japonês”.⠀

Esta não é uma obra qualquer nem para qualquer paladar, trata-se de um texto de Yumeno Kyûsaku, um dos principais expoentes da literatura eroguro nansensu junto ao famoso nome de Edogawa Ranpo, que influencia a mídia pop até hoje.⠀

Somente você pode fazer este livro existir!

Apoie o projeto de financiamento coletivo, e tenha recompensas exclusivas!

Descrição

O inferno das garotas

Assassinatos, suicídios, amores proibidos e muita tensão psicológica estão presentes nessa obra clássica do início do período Shôwa (1926 – 1989).

A coletânea conhecida como Shôjo Jigoku (o inferno das garotas) publicada no Japão em 1936 reúne três contos onde suas protagonistas são garotas. Neles o inferno que as jovens sofrem poderia ser o seu destino de ser mulher, entretanto também pode ser o tormento que elas podem causar aos outros por serem menosprezadas.

Sua profunda simpatia e empatia por pessoas marginalizadas e deslocadas e sua admiração e desejo de liberdade parecem ter permitido que Yumeno Kyûsaku criasse histórias com heroínas shôjo inesquecíveis que personificam possibilidades poderosas de questionamentos de papeis sociais. Algumas cenas são altamente perturbadoras, mas ainda assim estão ligadas à transgressões de gênero, culturais, nacionais e outras quebras de limites.

Uma típica obra vinda da cultura eroguro nansensu do Japão.

Yumeno Kyûsaku (夢野久作) era o pseudônimo de Sugiyama Yasumichi (杉山泰道), autor japonês do início do período Shôwa, foi monge zen, jornalista e escritor. Ele escreveu romances policiais e é conhecido por seu vanguardismo e seu surrealismo, suas narrativas são imensamente imaginativas e fantásticas, até mesmo bizarras.

Entre seus textos há inúmeros contos infantis, contos de terror e romances. Sua primeira novela, Ayakashi no Tsuzumi (O espírito do tambor, 1924) foi publicada na revista literária Shin-Seinen, e a partir de então seu nome se tornou conhecido.

Yumeno tem mais de 160 textos publicados entre ensaios, contos e romances.

“… ero (erotic) conota uma vitalidade energizada e colorida. Guro (grotesquerie) é cultura resultante de privação como aquela sofrida pelos sem-teto e por mendigos. Finalmente, o nansensu (nonsense) faz muito sentido… A turbulência do popular vaudeville pode, e no Japão moderno o fez, desafiar relacionamentos de dominação de uma classe, cultura ou estado-nação por outro” Miriam Silverberg (Erotic Grotesque Nonsense: the mass culture of japanese modern times).

Durante o período Shôwa com a popularização da midia impressa e sua possibilidade de produção em pequena ou maior escala, o Japão viu um grande aumento no lançamento de literatura, revistas, artigos de notícias e música centrada em torno do erótico grotesco (eroguro). Essas publicações passaram a compor o movimento Eroguro nansensu (エロ・グロ・ナンセンス), que buscava representar na mídia impressa uma sociedade considerada decadente, alienada e forjada em prazeres sexuais.

Após a publicação do conto de Edogawa RanpoInjû, em 1928, a sociedade japonesa viveu um boom de mídia bizarra. Nesse mesmo ano, Yumeno Kyûsaku publicou seu romance Binzume no Jigoku (Inferno na garrafa). Nessa época, o conceito nansensu (nonsense) foi adicionado a ero (erotic) e guro (grotesque) como uma palavra da moda que parte do senso estabelecido de grotesco erótico para transmitir um certo estilo de mídia, cultura e estilo de vida.

“considera-se o fenômeno Eroguro nansensu uma série de respostas artísticas e de manifestações espontâneas frente aos sentimentos de ansiedade e de inconformismo frente às mudanças políticas, econômicas e socioculturais do início do século XX, mudanças ocorridas graças a um processo rápido e desenfreado de modernização e pela difusão de práticas e valores ocidentais no território japonês”. Felipe Augusto Soares (“Eroguro nansensu: a contracultura e o underground do início do século XX”, publicado na revista Tudo éX Texto.)

A publicação do Edogawa Ranpo Zenshû (Trabalhos Completos de Edogawa Ranpo) em 1932 marca o pico deste boom. Em 1936, Kyūsaku faleceu logo após o lançamento de seu romance Dogura Magura. Ranpo mudou-se para trabalhos voltados para o público masculino mais jovem e no mesmo ano, e muitos de seus romances anteriores saíram de catálogo ou foram proibidos e cada vez mais considerados impróprios assim como os trabalhos de vários colegas, incluindo Yumeno, tendo muitos textos, livros e até músicas sendo censurados.

Todas as meninas protagonistas destas histórias usam seus corpos de uma forma ou de outra para desestabilizar as fronteiras e hierarquias de gênero, culturais, mitos e construções sócio-políticas. Tudo isso em meio de terríveis perturbações psicológicas, erotismo, relações conturbadas de poder, vinganças e reviravoltas.

Yumeno não hesita em introduzir linguagem vulgar ou discriminatória e cenas violentas.

Eis os contos presentes nesta coletânea:

*Nandemo Nai (nada de mais)

Em sua carta de suicídio, uma jovem acusa dois médicos de tê-la caluniado. À medida que a história avança, descobrimos que essa jovem é alguém com a aptidão perfeita para se tornar uma ótima enfermeira e assistente médica, e também alguém que é uma mentirosa natural com a tendência misteriosa de causar inquietação a todos ao seu redor.

*Satsujin Rirê (Murder Relay)

Através de cartas, uma amiga conta a outra sobre os métodos de um assassino em série pelo qual ela está apaixonada. As cartas começam falando sobre a mulher anterior que foi atraída para a armadilha do assassino e depois morta. Mesmo ciente de que ela é o próximo alvo, a mulher apaixonada ainda assim segue o roteiro.

*Kasei no Onna (mulher de marte)

Escrita na forma de artigos de notícias bizarros. Começa com a notícia de um cadáver feminino completamente carbonizado, seguido por uma série de artigos de coisas terríveis acontecendo a pessoas anteriormente respeitáveis, e termina com uma carta explicando a vingança dramática. A abertura com as notícias aumenta a tensão, que então se transforma em intensa loucura conforme a verdade sobre as “ilustres pessoas” se revela.

O livro está previsto para ter o tamanho de 21cm de altura por 16cm de largura, com aproximadamente 200 páginas em papel pólen 80g (aquele de tom creme). A edição será traduzida diretamente do japonês.

Além do livro impresso + marcador simples, o projeto trará recompensas exclusivas para apoiadores da campanha!

Marcador com ilustração exclusiva + hotstamping + tassel: marcador de 22cm com ilustração exclusiva de Lua Bueno Cyríaco, com aplicação de hot stamping, que deixa a superfície cromada (no caso do marcador, dourado metálico, veja aqui um exemplo de cobertura Hot Stamping), com um lindo tassel.

Minipôster A4: minipôster com ilustração exclusiva feita por Daniel Silvestre, Impressão colorida em offset 120g (o pôster é enviado dobrado ao meio)

Porta-Livro: bolsa de tecido com estampa exclusiva, tratada com nylon600, o que deixa o tecido impermeável e mais estruturado. Vem no tamanho ideal para guardar seu livro e protegê-lo. Ilustração variante da capa, por Lua Bueno Cyríaco.

Além das recompensas físicas, também prevemos algumas recompensas digitais. São elas:

E-book: E-book do livro “Shôjo Jigoku: O inferno das garotas” em formato EPUB ou MOBI. O apoiador receberá uma chave de acesso, a qual poderá usar em sua loja de escolha para a retirada do e-book.

Conto selecionado: Tradução de mais um conto inédito de Yumeno Kyûsaku, a ser selecionado pela equipe. O conto será publicado em formato de e-book fluido (mobi/epub)

Arte digital Minipôster: arte digital com qualidade de impressão para A4 com a arte do Minipôster.

Arte digital ilustrações: arte digital com qualidade de impressão para A4 com as artes internas por Daniel Silvestre.

Cupom de desconto: Entre as recompensas, cupons de desconto de 5% e 10% para serem usados na loja virtual das editoras Urso e BuruRu.

Contemporâneo de nomes famosos como Edogawa RanpoAkutagawa RyunosukeOsamu Dazai entre tantos outros grandes escritores japoneses que iniciaram suas carreiras nos anos 20, Yumeno Kyûsaku faleceu prematuramente em 1936 e caiu no esquecimento durante vários anos, tendo sido redescoberto por um filósofo japonês nos anos 60.

Com seus diversos temas, estilos e gêneros (mistério, terror, meta-ficção modernista, humor, ficção científica, literatura infantil, biografias, poesia, reportagem, entrevistas e assim por diante), a escrita de Yumeno atraiu e inspirou gerações de leitores de vários setores sócio-políticos e origens culturais, podendo citar entre elas o autor de mangá Suehiro Maruo, além de outras tantas produções de filmes, e animes tendo inclusive inspirado o filme “Girl’s Hell” (1977) dirigido por Masaru Konuma.

No ocidente, existem publicações de seus trabalhos apenas em inglês, francês e espanhol, não se resumindo a mais de 8 trabalhos entre os 160 textos produzidos por Yumeno em japonês.

O livro proposto nesta campanha será a primeira tradução para português, sendo a primeira edição a ser publicada no Brasil!

O Catarse é uma plataforma de financiamento coletivo. Essa página é uma parceria entre a Editora Urso e a plataforma. O processo é muito simples, você apoia o projeto e ajuda-o a existir no mundo!

Em troca, nós pensamos em várias recompensas interessantes, desde o livro em si, até mimos como bolsas, marcadores especiais, entre outras coisas! Você pode escolher de acordo com o seu gosto e também a forma de pagamento (se boleto ou cartão).

Para ver as opções, basta olhar os cards ao lado e escolher o seu >>>>

ou acessar a aba “recompensas”.

Este projeto está em modelo flex aberto, ou seja, quando atingirmos os 100% iremos determinar a data final. E quanto antes atingirmos a meta, mais cedo conseguiremos começar o projeto para entrega! 🙂

Nós precisamos muito do seu apoio. Sem ele, o projeto não acontece 🙁

Então… vamos chamar os amigos e apoiar! ♥

TRADUÇÃO

Felipe Medeiros é formado em Letras-Literaturas pela UFRJ, onde obteve título de Mestre em Ciência da Literatura e, atualmente, é doutorando. Tem grande interesse por idiomas, sendo proficiente em japonês e alemão e feito dois anos de russo com o professor Alberto Staleiken. Atua como professor de literatura, tradutor, revisor e escreve ensaios e ficção, tendo dois livros publicados: Sven (2013), pela musAbsurda e Hebefrenia (2020), pela Urso.

Já trabalhou como tradutor junto à Urso no livro Raposas: contos fantásticos orientais, publicado em julho de 2020.

TEXTOS COMPLEMENTARES

Nossa prefaciadora convidada é Mina Isotani, Professora doutora na área de Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP. Atualmente é colaboradora da Universidade de São Paulo e professora adjunta na área de Língua e Literatura Japonesa da UFPR, atuando principalmente com literatura japonesa e representação do feminino (entre outros).

Felipe Augusto Soares Lima da Trindade é professor de sociologia, licenciado em Ciências Sociais pela PUC-PR, atualmente, cursa Bacharelado em Letras Japonês na UFPR. É vocalista da banda Clan dos Mortos Cicatriz, cujas letras fazem diversas referências à literatura e contracultura japonesa. Nesta edição irá fazer o texto de apresentação sobre eroguro nansensu e os contos de Yumeno.

ILUSTRAÇÕES

Daniél Silvestre é artista visual e designer, usando os conhecimentos adquiridos com experiência própria e as suas passagens pelo cursos de Artes Visuais e Design Gráfico, respectivamente, pela UnB e UDF. Desde então, atua como diagramador e capista. Além disso, se aventura como ilustrador e quadrinista – nas horas vagas – há mais de dez anos. Trabalha com capas e diagramação, já tendo trabalhado em vários projetos com a Urso como diagramador. Para conferir algumas ilustrações, esboços e projetos em andamento, visite seu instagram aqui.

Lua Bueno Cyríaco é formada em Artes Visuais (tendo passado por alguns períodos cursando Design de moda) e atualmente cursa letras japonês na UFPR. Já trabalhou com quadrinhos, character design para games e assistente de animação, com destaque para a série “as fabulosas coleções do seu Gonçalo” da TV Escola, como designer de background. Recentemente colabora como ilustradora com a Cartola editora e as editoras Urso e BuruRu. Conheça seu portfólio aqui.

COORDENAÇÃO EDITORIAL

A Editora responsável por esta edição é a Lua Bueno Cyríaco, formada em Artes Visuais e graduanda em letras japonês pela UFPR. Artista gráfica, ilustradora e editora da BuruRu e Urso.

Tem a publicação da tradução de poemas clássicos japoneses Jûsan’nin Isshû – treze poemas do Ogura Hyakunin Isshû, traduzido por Vladine Barros, Horror oriental e dos mais recentes Irui kon’in no mukashi banashiRaposas: contos fantásticos orientaisAs aventuras da detetive Loveday Brooke e Contos Fantásticos Coreanos sob sua tutela editorial, todos apoiados através do Catarse.

A Urso

Editora Urso (que é a irmã mais velha da Editora BuruRu) é uma empresa incubada pela Laboralivros, que oferece seus recursos de serviços editoriais para que nossas publicações se tornem realidade! A Urso tem como proposta a publicação e divulgação de trabalhos voltados às áreas artísticas e demais ramificações das ciências humanas. Dentro desse espectro, realizamos publicações de traduções, poesia, ensaios, teses e dissertações com propostas culturais e estéticas a fim de auxiliar na divulgação destes trabalhos.

Assim, partimos do interesse em nos debruçarmos em trabalhos que possuam envolvimento no universo das belas-artes com suas ramificações culturais e teóricas de ordem especulativa em diálogo com o âmbito estético. Conteúdos ensaísticos, dissertativos, literários e de tradução são bem-vindos.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Shôjo Jigoku: o inferno das garotas”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *