Oferta!

Gótico Japonês, vários autores (brochura)

R$60,00 +envio seguro

Editora: Urso

Ano: 2023, 248 pág.| Tamanho: 14x21cm | brochura

Autores: Akutagawa Ryûnosuke, Izumi Kyôka, Ueda Akinari, Murasaki Shikibu

Tradutores: Dion Ribeiro, Luiza Nana Yoshida, Jovanca Kamizi, Marina Piescth

Sinopse:

Textos icônicos da literatura misteriosa e sobrenatural, reconhecidos como mestres do “gótico japonês” mesclam-se com textos clássicos japoneses de mais de mil anos de idade.

A literatura japonesa é permeada de histórias de mistério, onde o sobrenatural e o real coexistem ou, algumas vezes, se confundem. Unido a isso, misteriosas figuras femininas e entidades costumam dar um toque final à trama.

Pensando nisso, costuramos nesse volume, além das obras desses famosos escritores, trechos de livros clássicos como o konjaku monogatarishû e Genji monogatari, textos do século XI que até os dias atuais são base da cultura e literatura japonesa.

Contos presentes:

  • “Afuhi”, capítulo de O conto de Genji escrito por Murasaki Shikibu no século XI
  • “Ladrão que viu pessoas mortas quando escalou o portão Rashô”, conto registrado no Konjaku Monogatari, século XII
  • “A esposa vai para o país de Tamba, e o homem é amarrado no monte Oe”, conto registrado no Konjaku Monogatari, século XII
  • “O caldeirão de Kibitsu”, Ueda Akinari (1734 – 1809)
  • “A luxúria de uma serpente”, Ueda Akinari (1734 – 1809)
  • “O biombo do inferno”, Akutagawa Ryûnosuke (1892-1927)
  • “O homem santo do monte Kôya”, Izumi Kyôka (1873 – 1939)

Vale ressaltar que todas as traduções são feitas diretamente do japonês e que, dentre os textos selecionados, os contos: “Afuhi”, “Ladrão que viu pessoas mortas quando escalou o portão Rashô”, “A esposa vai para o país de Tamba, e o homem é amarrado no monte Oe” são textos clássicos, tendo sido originalmente escritos no japonês antigo.

Outro destaque vai para o conto “O homem santo do monte Kôya”, de Izumi Kyôka nunca antes publicado no Brasil.

 

 

Descrição

A literatura japonesa é permeada de histórias de mistério, onde o sobrenatural e o real coexistem ou, algumas vezes, se confundem. Unido a isso, misteriosas figuras femininas e entidades costumam dar um toque final à trama.

O que conhecemos como características da literatura gótica, estão presentes nos textos japoneses desde muitos séculos atrás. E é por isso que este livro irá traz uma costura entre o antigo e o moderno.

A tradição japonesa literária começa na poesia, onde existe o chamado Honkadori (tirar de um poema original) em que seu recurso é fazer uma alusão ou reinterpretação de trechos, versos ou trama de um autor respeitado. Isto é tão tradicional quanto o costume da corte de recitar poemas. No compêndio de poemas Man’yoshû (coletânea das dez mil folhas, publicado por volta de 759, período Nara) são encontrados vários poemas que fazem referências a obras de famosos poetas chineses, ou mesmo, poemas que fazem referência a outros poemas publicados no mesmo livro. Pode-se dizer que, reconhecer em um poema um trecho reinterpretado de outro, era sinal de um verdadeiro apreciador e conhecedor da arte.

Desse modo, é muito comum que escritores estejam sempre referenciando obras clássicas ou, algumas vezes, as revisitando. Para um japonês, pode ser quase intuitivo perceber essa citação, mas para nós, distantes da cultura e das referências literárias japonesas, isso pode ser um desafio.

Pensando nisso, costuramos nesse volume, além das obras desses famosos escritores, trechos de livros clássicos como o konjaku monogatarishû e Genji monogatari, textos do século XI que até os dias atuais são base da cultura e literatura japonesa.

Contos presentes:

  • “Afuhi”, capítulo de O conto de Genji escrito por Murasaki Shikibu no século XI
  • “Ladrão que viu pessoas mortas quando escalou o portão Rashô”, conto registrado no Konjaku Monogatari, século XII
  • “A esposa vai para o país de Tamba, e o homem é amarrado no monte Oe”, conto registrado no Konjaku Monogatari, século XII
  • “O caldeirão de Kibitsu”, Ueda Akinari (1734 – 1809)
  • “A luxúria de uma serpente”, Ueda Akinari (1734 – 1809)
  • “O biombo do inferno”, Akutagawa Ryûnosuke (1892-1927)
  • “O homem santo do monte Kôya”, Izumi Kyôka (1873 – 1939)

 

Vale ressaltar que todas as traduções são feitas diretamente do japonês e que, dentre os textos selecionados, os contos: “Afuhi”, “Ladrão que viu pessoas mortas quando escalou o portão Rashô”, “A esposa vai para o país de Tamba, e o homem é amarrado no monte Oe” são textos clássicos, tendo sido originalmente escritos no japonês antigo.

Outro destaque vai para o conto “O homem santo do monte Kôya”, de Izumi Kyôka nunca antes publicado no Brasil.

 

 

Informação adicional

Peso 500 g
Dimensões 25 × 16 × 4 cm

Você também pode gostar de…